terça-feira, 1 de junho de 2010

ANNE FRANK /AMSTERDAM /NAZISMO

                           




                                       ANNE FRANK / AMSTERDAM / NAZISMO 

Quem foi Anne Frank?
Um pouco de sua história
Nascida em 12/6/1929 em Frankfurt, foi uma adolescente de origem judaica, que morreu aos 15 anos em campo de concentração.
A garota judia Anne Frank começou a escrever seu diário com 13 anos, durante a Segunda Guerra Mundial ( 1939-1945 ). Por causa da perseguição dos nazistas aos judeus.
Seu diário foi publicado em 1947 e é atualmente um dos livros mais traduzidos por todo o mundo ( 68 línguas)
Ela e sua família e mais quatro amigos, todos judeus, tiveram de viver 25 meses durante a segunda guerra mundial escondidos no sótão, num anexo de quartos por cima do escritório do pai dela em Amsterdam, conhecido como anexo secreto tornou-se hoje CASA MUSEU.
Em 1944 este esconderijo foi denunciado e todos os ocupantes foram levados aos campos de concentração nazistas.Quando a guerra acabou , em 1945, apenas opai de Anne continuava vivo. Encontrado por acaso, o diário da garota virou livro em 1947.

"Sabado, 15 de julho de 1944.
Então se voce está perguntando se ficar aqui é mais dificil para os adultos do que para os jovens, a resposta é não, com certeza. Os mais velhos têm uma opinião formada sobre tudo, são seguros de si e de seus atos. Para nós jovens, é duas vezes mais difícil manter nossas opiniões numa época em que os ideiais são estilhaçados e destruídos, quando o pior lado da natureza humana predomina, quando todo mundo duvida da verdade, da justiça e de Deus. (...)
Em tempos assim fica difícil; ideais, sonhos e esperanças crescerem em nós, somente para ser esmagados pela dura realidade. É um espanto que eu não tenha abandonado todos os meus ideais, já que parecem tão absurdos e pouco práticos. Mas me agarro a eles porque ainda acredito, adespeito de tudo, (...) que tudo mudará para melhor, que a crueldade também terminará, que a paz e a tranquilidade voltarão. Enquanto isso, devo me agarrar aos meus ideias. Talvez chegue o dia em que eu possa realizálos!"
FRANK, Anne. O diário de Anne Frank

Se Anne Frank para a amiga Kitty

"  Como esconderijo, a casa de trás é ideal; ainda que seja úmida e esteja inclinada, estou segura de que em toda Amesterdã, e talvez em toda a Holanda, não há outro esconderijo tão confortável como o que temos instalado aqui.
O ministro Bolkkestein, falando no noticiário holandês, trasmitido da Inglaterra, disse que depois da guerra farão coletanêa de diários e cartas que falem da guerra. (...) Imagine como seria interessante se eu publicasse um romance sobre o Anexo Secreto. Sério, dez anos depois da guerra as pessoas achariam muito interessante,  ler como nós vivemos, o que comemos e sobre o que falamos como judeus escondidos.
Apesar de eu contar a você muita coisa sobre nossa vida, voc~e ainda sabe muito pouco a nosso respeito.(...) As pessoas precisam entrar em filas para comprar legumes e todo o tipo de mercadoria; os médicos não podem visitar os pacientes, já que seus carros e bicicletas são roubados no momento em que viram as costas; roubos e assaltos são tãos comuns que você se pergunta  o que aconteceu de repente com os holandeses para subitamente terem os dedos tão leves. Crianças pequenas, de oito e onze anos, quebram vidros das casas e roubam o que podem. As pessoas não ousam sair de casa por cinco minutos, já que podem voltar e descobrir que tudo desapareceu. Todo dia os jornais estão cheios de anúncios de recompensas pela devolução de máquinas de escrever, tapestes persas, relógios elétricos, tecidos etc. Os relógios elétricos das esquinas foram desmantelados, os telefones públicos são depenados até o último fio. ( 29 de março de 1944).
Nos 21 meses em que vivemos aqui, passamos por muitos ciclos alimentares(...) Um ciclo alimentar é um período em que só temos um prato específico ou um tipo de verdura para comer. Durante longo tempo só tivemos endívias. Endívia assim, endívia assado, endívia com purê de batatas, caçarola de endívia com purê de batatas. Depois é espinafre, seguido por couve-rábano, salsão, pepinos, tomates, chucrute, e por ai vai.
Não é muito divertido quando , por exemplo você tem de comer chucrute todos os dias no almoço e no jantar, mas, com fome, você acaba fazsendo um bocado de coisas. Mas agora estamos passando pelo período mais delicioso de todos, porque não temos nenhuma verdura.
Nosso almoço durante a semana consiste em feijão, sopa de ervilha, tatta com bolinhos, guisado de batata,e, pela graça de Deus, cenouras podres ou nabos, e em seguida voltamos ao feijão. Devido a escassez de pão, comemos batatas em todas as refeições, a começar pelo café da manhã, mas aí nos fritamos um pouco. Para fazer sopa usamos feijão, batatas, pacotes de sopa de legumes, pacotes de sopa de galinha e pacotes de sopa de feijão. O feijão entra em tudo, inclusive no pão. No jantar comemos sempre batata com imitação de molho de carne e --- graças a Deus ainda temos ---- salada de beterraba. (...).
O ponto alto de nossa semana é uma fatia de salsicha de figado e geleia no pão sem manteiga. Mas ainda estamos vivos, e na maior parte do tempo isso também tem um gosto bom (3 de abril de 1944 ) "

Frank. Anne. Diário de Anne Frank


Um outro olhar sobre a guerra, mas muito atual escrito no final do século XX, também por uma garota chamada Zlata que também viveu a experiência da guerra em lugares e momentos diferentes.

O diário de Zlata
A garota bósnia Zlata Filipovic tinha 11 anos quando começou a escrever seu diário, a menina conta os horrores dos ataques sérvios à sua terra, a Bósnia-Herzogovina, entre 1991 e 1993. Ela descreveu os tiroteios, o racionamento de comida, a falta de água e de luz.
No final de 1993 Zlata então com 13 anos e seus pais conseguiram sair de Sarjevo, capital da Bósnia e mudaram-se para a França.

"Segunda-feira, 29 de junho de 1992
Não aguentamos mais tiros de canhão! Não aguento mais granadas caindo! Nem mortos! Nem desespero! Nem fome! Nem infelicidade! Nem medo!
Minha vida é isso! (...) Uma criança que não brinca mais que ficou sem amigas, sem sol, sem pássaros, sem antureza, semfrutas, sem chocolate, sem balas, só com um pouquinho de leite em pós. Uma criança que, em resumo não têm mais infância. Uma criança da guerra, (...) Meu Deus será que algum dia isso vai chegar ao fim, será que vou poder voltar a ser estudante, voltar a ser uma criança feliz por ser uma criança?
Ouvi dizer que a infância é a época mais linda da vida. Eu estava feliz de viver mina infãncia, mas essa guerra me tomou tudo. Porquê? Estou triste. Estou com vontade de chorar. Estou chorando. "

FILIPOVIC, Zlata. O diário de Zlata: a vida de uma menina na guerra


O museu Anne Frank abriu suas portas ao público em 3 de maio de 1960, completando 50 anos.
É la que estão os manuscritos dos diários de Anne Frank que fez com que sua história se tornasse mundialmente conhecida, onde relatava o que sentia, o que pensava e o que fazia.
Onde os longos meses de silêncio e de medo aterrorizante acabaram a ser denunciado aos nazistas e deportados para os campos de concentração nazistas.
O responsável pela exibição de seu diário deve-se ao seu pai Otto Frank responsável pela publicação de seus diários.

                                              Um pouco de história dos judeus e do nazismo
O nazismo perseguiu os judeus por motivos racistas, pois consideravam os judeus geneticamente inferiores. O anti-semitismo alemão praticamente começou com Lutero na Alemanha, que sugeria que os judeus, tivessem suas Sinagogas queimadas e que fossem expulsas da Alemanha.
O racismo presente em toda Europa desde a Idade dia que segregavam a população judaica a guetos, impediam a maioria dos judeus de serem proprietários de terra, fato que tornou os judeus um povo essencialmente urbano.
Poucos se casavam com pessoas que não fossem judias, o que os mantinha isolados e também usavam um idioma próprio ( IDICHI ) impondo barreiras da língua o que favorecia  mais hostilidades.
Poucos foram os judeus que ascenderam socialmente como por exemplo KARL MARX, ALBERT EINSTEIN, SIGMUND FREUD ETC.

Devemos lembrar ainda que desde que o mundo é mundo tentou-se quase sempre exterminar os judeus ( por exemplo os romanos, os espanhóis, o Vaticano, os alemães na 2 guerra, e os ARÁBES AINDA O DESEJAM.
HOLOCAUSTO foi uma das maiores atrocidades cometidas pelos seres humanos. Perseguições seguidas de muito sofrimento e muitas mortes.
Adolfo Hitler fez do Holocausto a guerra mais destruidora da história, onde as " raças" mais evoluídas eram os arianos, alemães e outros povos nórdicos, destinados a destruir " raças inferiores" principalmente os JUDEUS, aos quais Hitler atribuiu a maioria dos males da humanidade.
1934- Hitler se torna  "FUHRER" líder absoluto na Alemanha
1935-judeus tem seus direitos como cidadãos e outros direitos básico retirados.- nazistas tomam conta dos negócios judeus.
Judeus são obrigados a carregar suas carteiras de identidade e seus passaportes são marcados com um "' J ".
Hitler ordena que os judeus obedeçam a toques de recolher, todos judeus devem USAR ESTRELAS AMARELAS DE DAVID.
1941
Judeus não podem sair de casa sem autorização da polícia, os judeus são proibidos de usar os telefónicos públicos em 1942
Judeus são proibidos de escrever a jornais, ter animais domésticos, possuir equipamentos eletronicos, ter bicicletas, comprar carne, ovos, leite, usar transportes públicos e ir a escola.
Hitler não odiava os judeus, mas qualquer um que não se enquadrasse no padrão de " RAÇA PURA ARIANA" (ciganos, homossexuais, deficientes físicos ou mentais, negros, todos foram executados da mesma forma.
Encontraram nos judeus um BODE EXPIATÓRIO que concentrava todas as características que procuravam afastar.
Estas teses racistas e anti-semitas ficaram patentes no livro de 1924  MEIN KAMP ( minha luta).
É neste contexto histórico que viviam em Amsterdam Anne Frank e sua família.
O único sobrevivente foi o pai de Anne, volta a Amsterdam depois da guerra.

Quanta barbáries cometidas contra os judeus durante a Segunda Guerra Mundial, revoltante estudar todos estes sofrimentos causados NÃO VALERAM DE NADA? OU VALERAM PARA ALGUMA COISA?


O diário de Anne, O diário de Zlata
Dois olhares sobre a guerra importantes relatos de duas meninas que vivenciaram a experiência da guerra em lugares e momentos diferente.
Vale a pena conhecer estas duas histórias, dois relatos, que emociona, comove!

2 comentários:

Luciano canavial disse...

Gosto da sua sensibilidade como escreve.Este é um assunto que deve ser sempre lembrado,uma tentativa macabra de uma criatura insana(Adolfo Mostro Hitler) de aniquilar com o povo judeu.Continue sempre camarada escrevendo os fatos do passado,pois serve de prova no presente.

amanda disse...

gosto de saber, procurar, e entender porque essa barbaridade toda com os judeus..a historia de anne frank eu conheci por meio de minha professora e fiquei chocada com o que ela falou sobre a historia.um dia espero comprar o livro de anne frank e intender mais ainda a historia dela da familia dela, e do poderoso hitler, que foi um dos maiores odiadores do povo nazista.