sábado, 19 de maio de 2012



NASCIMENTO DO BRASIL

ERA NO TEMPO DO REI............

A CORTE PORTUGUÊSA NO BRASIL
 Como a família real portuguesa fugiu da Europa, atravessou o oceano Atlãntico e se instalou na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro
 
Carlota Joaquina
Além de não gostar de viver no Brasil, a princesa espanhola sonhou em vão ser a " Regente de Todas as Américas"

Dom João VI
Exímio estrategísta político, o príncipe regente planejou a fuga da família , elevou a colônia a reino e foi coroado em 1818.
Um príncipe regente medroso, glutão e viciado em coxas de galinha
Tinha uma mãe( uma rainha louca D. Maria I
Uma mulher uma princesa espanhola


Epopéia Lusitana

1-Família real deixa Lisboa no dia 29 de novembro de 1807, escoltada por quatro naus da Marinha inglêsa. O vento empurra o comboio para o norte.


2-Três dias depois, começa a viagem rumo ao sul.  Ao chegar à ilha da Madeira, uma tempestade separa os navios. Os príncipes seguem para Salvador.


3-No fim de dezembro uma calmaria paralisa as embarcações na altura do Equador. Para percorrer 30 léguas, as naus levam 10 dias - percursso feito em 10 horas.

4-Em 17 de janeiro de 1808, a nau Medusa atraca no Recife com problemas no casco. Três dias antes, a outra comitiva tinha alcançado o porto do Rio de Janeiro.

5-Depois de 54 dias no mar e 6,4 mil quilômetros percorridos, os príncipes chegam a Salvador no dia 22 de janeiro de 1808. A corte fica 36 dias na Bahia.


6-A comitiva de dom João chega ao Rio de Janeiro no começo de 7 de março de 1808 e desembarca no dia seguinte. Os festejos duram nove noites.

No dia 29 de novembro de 1807, o Príncipe Regente, juntou a mãe ( uma rainha louca ) a mulher ( uma princesa espanhola, os filhos e cerca de 11 mil pessoas e apartiu para o distante Brasil, uma colônia que ficava do outro lado do Oceano Atlãntico.
Ficou por 13 anos, realizou alguns feitos importantes, tornou-se rei após a morte da ma~ee fez do filho , Pedro seu sucessor

No dia 22 de janeiro de 1808, a corte portuguêsa chegava a Salvador. 
Trezentos e oito anos depois da viagem de Pedro Álvares Cabral, o Brasil era novamente redescoberto.
Ainda na Bahia, no dia 28 de janeiro, o Príncipe-Regente Dom João, que desde 1792 governava no lugar de sua mãe D. Maria I, que enlouquecera, assinou uma carta-régia ( decreto do rei ) . Nela ficava determinado que fossem:
admissíveis nas alfândegas do Brasil todos e quaisquer gêneros, fazendas e mercadorias, transportadas ou em navios estrangeiros das potências que se conservam em paz e harmonia com a minha Real Coroa, ou de navios dos meus vassalos, pagando entrada de 24 por cento.

Era a abertura dos portos brasileiros ao comércio com todas as nações que estivessem " em paz e harmonia " o que excluia a França de Napoleão I. Os brasileiros poderiam a partir de agora comerciar legalmente com a Inglaterra de Geoger Canning, o ministro que tramara a vinda da corte para o Brasil, e com a jovem república dos Estados Unidos da Am´[erica do Norte, de Thomas Jefferson, o advogado que redigira a Declaração de Indepêndencia de sua terra.

Essa carta régia acabava com o monopólio comercial e com o previlégio desfrutado pelos comerciantes reinóis. A partir de 1808, comerciantes brasileiros e de outras nacionalidades poderia comerciar livremente no Brasil, desde que pagassem o imposto alfandegário.
A população brasileira poderia comprar, desde então, todos osprodutos que desejasse por um preço mais reduzido: tecidos, sapatos, talheres, louças  e cristais, chapéus, cachimbos, linhos e xales, lâminas de espada, ferragens, queijo e manteiga, escovas, pentes e navalhas, perfumes e sabonetes, velas e barbantes, caixões mortuários.... e muitos outros artigos sem qualquer utilidade para os brasileiros, como casacos de peles, patins para gêlo e porta-notas, quando no Brasil não havia sequer papel-moeda.
Principalmente os comerciantes ingl~eses traziam essas mercadorias, que sobravam na Inglaterra, desde que fora decretado o Bloqueio Continental ( 1806 ) e se iniciara a Segunda Geurra de Independência dos Estados Unidos ( 1812 ).
A atividade comercial crescente movimentava a vida nas cidades como no Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Belém. Muitos comerciantes instalaram lojas nas ruas próximas aos portos. Os hábitos da população  se modificaram, passando a se utilizar de artigos europeus, vestindo-se à moda européia e construindo residências urabanas segundo os modelos europeus. Muitos senhores de terra e de escravos, que nunca haviam abandonado as suas fazendas, foram morar no Rio de Janeiro.
Os tratado de 1810 não foram bem recebidos. A Igreja Católica protestou contra os privilégios que eram dados aos protestantes.Os fazendeiros que necessitavam de escravos também não ficaram satisfeitos. O mesmo aconteceu com os comerciantes portuguêses não só aqueles que transportavam negros escravos, como também os outros que pagariam uma tarifa alfandegária maior do que a paga pelos comerciantes inglêses. O govêrno português, porém foi obrigado a assiná=lo porque dependia da Inglaterra.
Tornando-se sede da monarquia portuguêsa, o Brasil precisava ter a sua administração reorganizada, por isso  criaram-se órgãos ou seja repartições pública, onde foram dados empregos aos fidalgos que se tinham transferido para o Brasil junto com a côrte.
O gov~erno de Dom João incentivou as atividades econômicas, construiu estradas,ligando o litoral ao interior. Contratou técnicos estrangeiros para melhor aproveitamento dos recursos do subsolo. Selecionou e aclimatou novas plantas como o chá e a cana caiena no Horto Real , atual Jardim Botãnico do TRio dee Janeiro. Criou o primeiro Banco do Brasil e apoiou a criaçãod e manufatura de tecidos e de metais.
Em 1816, com a morte de D. Maria I, o Príncipe Regente, torna-se-ia rei, com o títulos de Dom João VI. Oito anos, após a chegada da corte, o Brasil passava a ter um rei, o primeiro que  toda a América conhecera.
Muitas coisas haviam mudado desde então...
Foram criados bEscolas de Medicina, Academia Militares e de Marinha, a Biblioteca Real, o Museu Real e a Academia de Belas Artes.
Surgiram os primeiros jornais e as primeiras revistas impressos. Jornais e revistas como A GAZETA DO RIO DE JANEIRO
No tempo do rei ( 1808-1821) houve várias modificações na vida brasileira. As modificações políticas, econômicas teriam grande influência na maneira como o Brasil alcançou a sua independência. Outras modificações alteraram bastante os costumes da população, especialmente a do Rio De Janeiro. E por fim a própria extensão territorial brasileira foi aimpliada.

ALGUMAS ILUSTRAÇÕES
 O edifício à direita é o antigo Palácio dos Vice-Reis, de onde D. João governou o Brasil. Denominado Largo do Paço

Vida de escravo na Côrte


 O caldo de cana, tão apreciado, era fabricado em pequenas moendas portáteis.


Na oficina  do sapateiro português um dos amendrontados aprendizes escravos da a mão à palmatória.....


"Os homens nascem e permanecem...iguais em direitos". Declaração dos Direitos do hOMEM, fRANÇA 1789
Execução do castigo do açoite, Brasil início do século XIX.


Alguns escravos paravam para conversar e comprar tabaco...embora sob a vigilância do soldado.


Escravos vendedores de capim e de leite. Um cadeado na lata evita que o leite seja batizado.....


Negros e mulatos coletando esmolas



.

Nenhum comentário: